Perrengues policiais




“Quando eu for servidor público federal do Poder Legislativo só irei jantar em lugar chique!”


Calma, pequeno gafanhoto! Se o seu sonho ao virar servidor público for somente isso, somente desfrutar de coisas chiques, locais bacanas, tome cuidado. Você pode se decepcionar.


Claro que ter um salário legal, uma carreira que figura pelo topo do funcionalismo, vai proporcionar bons momentos. Ter o salário todo mês certinho ali é lindo demais e vai dar a chance de descobrir coisas novas. Mas dependendo da carreira você precisa estar preparado para vários cenários.


Por exemplo, na polícia legislativa federal há o trabalho de proteção de autoridades. Um trabalho de excelência feito no país todo, no mundo. Em alguns momentos você se vê dentro de eventos chiques, que você como mero mortal nunca iria. E, em outros, estará ali na sobrevivência, dormindo onde for possível, comendo o que tiver na hora.


Comum pernoitar em hotéis de beira de estrada, de posto de gasolina, com cama dura, sem ar, chuveiro frio. Comum comer marmita dentro da viatura, comer em estabelecimentos do tipo “é isso aí ou então morre fome”, comum passar horas e horas num carro, passar feriados importantes longe da família. Comum comer uma lasanha pronta, feita no micro-ondas, em plena ceia de Natal.


Nem tudo é status. É o nosso trabalho. Importante, no final das contas, é que o ele seja bem feito, que a autoridade faça suas demandas sem percalços, que os membros da equipe voltem bem para suas casas. No final ficam as histórias engraçadas dos perrengues e a amizade com os agentes das equipes.


Vitão Rosa - PLF CD e Elitte Concursos

*texto com participação de Antônio Fortunato

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Em minha experiência enquanto psicanalista, me deparei inúmeras vezes com sujeitos que vivenciavam o processo de estudar para concurso público, alguns já empregados, com família, outros ainda almejand

Caminhos